quinta-feira, 28 de junho de 2018

Protetor Solar facial com cor da Bioderma Photoderm Nude Touch


Pele perfeita protetor solar com cor: natural SPF 50+

Dado que sou branquelas e tenho a pele super hiper mega oleosa (sempre foi super oleosa, mas desde há uns meses que, tanto a pele como o cabelo passaram diretamente ao estado mega, o que é um SACO!!!), a busca eterna pelo protetor solar perfeito, que proteja e não dê ainda mais oleosidade, tem sido isso mesmo... Até que aparece este menino da Bioderma. Vi diversos reviews, uns muito bons, outros nem por isso. mas em mim está a ser muito bom (comprei há duas a três semanas  na Wells). A cor que escolhi é a Claro (parece-me ser a intermédia), mas a cobertura é muito baixa, dá mesmo só um tonzinho. 

O que a marca diz (podem consultar tudo AQUI):

Indicações

Para além de uma ótima fotoproteção UVB/UVA, oferece ainda uma proteção interna eficaz, graças à patente Bioprotecção Celular™ que reforça os mecanismos naturais de defesa da pele. Contém filtros 100% minerais, o óxido de zinco e dióxido de titânio.
Com a tecnologia Liquid-to-powder, os agentes voláteis evaporam após aplicação, criando uma fórmula ultra-leve e de textura inovadora.

Os pigmentos naturais e os pós matificantes conferem ação anti-brilho e uniformidade da pele.
O ácido salicílico suaviza e refina o grão da pele, tornando-a mais radiante. 

A Patente Fluidactiv™ regula biologicamente a qualidade do sebo, prevenindo a comedogénese e limitando o aparecimento de imperfeições.

A capriloil glicina regula a quantidade de sebo produzida a curto e longo prazo por inibição da enzima 5α-redutase, tendo um efeito sinérgico na redução das imperfeições.

BENEFÍCIOS

  • Elevada fotoproteção 100% mineral UVA/UVB. SPF 50+
  • Reforço dos mecanismos naturais de defesa da pele:  Patente de Bioproteção Celular™ .
Benefícios para uma pele perfeita
  • Controlo da oleosidade e efeito nude mate de longa duração (8 horas)
  • Pele naturalmente aveludada
  • Melhora a textura e uniformiza a pele
  • Redução biológica das imperfeições dia após dia
  • Muito resistente à água
Resultados
  • Imediatamente protegida, a pele torna-se naturalmente aveludada. Dia após dias as imperfeições vão desaparecendo. 
  • Textura ultra-ligeira, com acabamento mate aveludado.


O que posso dizer é que:

- Apenas utilizando hidratante facial (estou a experimentar o da LUSH -vanishing qq coisa, que tenho em amostra, mas acontece o mesmo com outros como o gel da Clinique dos 3 passos), e pó (umas x o Stay Matte da Rimmel London, outras o translúcido da Flormar, outras a base studio fix da MAC), a meio do dia já tenho o nariz e a testa a derreter (e não apenas com o calor dos últimos dias);

- Com os mesmos produtos, e utilizando o Bioderma Photoderm Nude Touch a seguir ao hidratante e antes do pó, de facto a minha pele fica mais matificada, e apesar de ao final de cerca de 10 h ficar um pouco brilhante, não tem mesmo nada a ver. No entanto, não noto nada de efeito "liquid to powder", e embora haja quem refira que após aplicação leva algum tempo até secar, não tenho tempo a perder, coloco logo o meu pó por cima, e sigo caminho, por isso não posso dar opinião sobre esse aspeto.

- Apenas estou a utilizar o Bioderma Photoderm Nude Touch no dia-a-dia, não me expus ao sol, tipo praia, com ele, mas tb não era essa a minha ideia, pois na praia, tanto me faz se fico mais ou menos brilhante, e tenho utilizado outros que já tinha em uso (Piz Buin, La Roche).

Assim, quer-me parecer que aquilo que a marca promete, no meu caso, e até à data, se verifica, pelo menos em termos de matificação. De resto, só com o tempo.

Mas como vi a promoção da SKIN.pt (-25% em todos os produtos Bioderma até final de junho 2018, ficou a 14,21 EUR), aproveitei pois vai ser o meu amigo nos próximos tempos - verão (pq me aborrece usar base. Qto muito uso um BB cream de x em quando) e aqui deixo a minha experiência, a quem possa interessar: link para o site da Skin.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Compras +- sustentáveis #2

Ora desde a última vez, tenho feito algumas (poucas) compras, em termos de novidades. 

No Celeiro tenho feito bastantes comprinhas, apenas destaco as mais recentes. Já consegui utilizar um bom saldo que tinha em cartão, do qual nem me tinha apercebido, o que foi uma ótima surpresa:
  • Sementes de cânhamo descascadas (já comprei no Cotninete , acho que da Diese, em promoção): https://www.celeiro.pt//260329-sementes-de-cnhamo-250-gramas-kg-iswari
    Ótimas para pôr nas saladas, polvilhar legumes cozinhados. Têm um sabor tipo a frutos secos. 
  • Proteína de cânhamo também da Iswari (ainda não experimentei, conto utilizar em sopas)
  • Geleia de arroz (que uso quando faço algumas sobremesas) da Naturfoods: https://www.celeiro.pt//449441-geleia-de-arroz-biologica-520-gramas-kg-naturefoods

  • Sementes de abóbora biológicas da marca Celeiro, que estão atualmente em promoção (1,99 EUR por 250 g)
  • Tofu no barro (ainda não experimentei. Faço poucas vezes tofu. As últimas x usei o fumado do Aldi)
  • Massas de konjac (esparguete, fusili, penne e arroz), por exemplo o esparguete: https://www.celeiro.pt/340458-konjac-biologico-tipo-massa-spaghetti-250-gramas-kg-slendier - já fiz um caril de frango com este esparguete, mas só vou provar amanhã. Diz-que sacia bastante e tem apenas 10 kcal por dose (e é praticamente fibras). Sei que tb há noutras lojas, nomeadamente no Jumbo, mas para já vou experimentar estas.
  • Sal marinho
  • Óleo de coco da Naturfoods (normal e o neutro - https://www.celeiro.pt/446143-oleo-de-coco-neutro-bio-200-gramas-kg-naturefoods - trouxe este para experimentar em certos pratos nos quais com o normal o sabor fica muito intenso)
No Aldi vou comprando sempre alguns produtos frescos, e por vezes os limitados (ex. a pasta de caril, curcuma em pó, etc.). Dos frescos destaco as cenouras biológicas, algumas carnes dos açores e ovos de galinhas criadas no solo, ou biológicos quando em promoção. De resto, quando não compro os legumes de época na Dona L, compro lá, preferencialmente  e geralmente encontro sempre algo a bom preço (brocolos Bimi, feijão verde, cogumelos, etc.).

No Continente, comprei Stevia líquida da Hermesetas, por 8 eur e picos . Será apenas para fazer uns doces em festas que se aproximam. Ainda tenho de pesquisar mais, pois não sei até que ponto será a melhor opção, já que só depois vi que tem xarope de agave (o que faz não ter os óculos!!!). Mas no Celeiro apenas tinham em pó, e precisava em líquido. Também tenho em pó, do Aldi. Apenas uso pontualmente, para adoçar iogurte grego natural (mas como poucas vezes). Seja como for, tenho de ver melhor a composição.

Na Pluriscosmética, comprei um champô e um cleanser da Angel en provence, de verbena (https://www.pluricosmetica.com/catalog/39/angel-en-provence-verbena-scalp-in-depth-cleanser-062724/)  que finalmente resolvem o meu problema de cabelo super oleoso nas raizes, e consigo aguentar sem lavar entre dois a três dias (e já cheguei a 4). Custam 18,50 eur, mas têm 800 mL, pelo que irão durar bastante tempo.

De maquilhagem, tenho me abstido de grandes maluquices, mas não resisti ao kit de iluminador da Becca (travel size), na cor Opal. Mas como me vai durar uma vida, os menos de 20 EUR acho que vão compensar. Mas de facto é muito bonito.

E depois, desgracei-me na Bimba Y Lola e comprei esta mala, porque estava com uma boa promoção e faz mesmo o meu estilo (chegou hoje e está ainda na embalagem, por isso deixo imagem do site): 


E de resto, apenas que tenho estado a experimentar, nas últimas duas semanas a alimentação tipo cetogénica. Para já tudo muito bem (menos cerca de 2 kg e picos), pois mantenho-me saciada bastante tempo. Não me custou nada, porque a minha alimentação já era Paleo (pelo menos a maioria do tempo), e apenas tenho reduzido mais os HC. Desta x não tirei medidas, mas notei logo diferença no rosto e nas nádegas. 
Ah, e continuo a fazer os meus jejuns intermitentes de cerca de 16h /dia (basicamente não tomo o pequeno-almoço) e como quando tenho fome. Às x cehgou a 18 ou 19h, porque lá está, como quando tenho fome. E estou bem assim. Tenho mais energia e capacidade de concentração. E as análises estão melhor que nunca ;-)

E é tudo.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Compras (+- sustentáveis) da semana #1


Viva!

Apesar de nunca ter sido um dos focos no blogue, aqui deixo as minhas comprinhas de ontem e hoje que poderão interessar a alguém.

1. ALDI

Nas "novidades" disponíveis a partir de 20/09/2017 (muitos produtos biológicos), optei por:

- 1 embalagem de Curcuma e 1 de Maca peruana biológicos (200 g, 3.99 EUR cada);

- Moinhos de especiarias biológicos (40-75g, 1,49 EUR cada) – optei pela mistura de pimentas, mas há diversas opções (para carnes grelhadas, peixes e mariscos, etc.);

- Carne de novilho dos Açores (360 g – dois bifes, 3,49 EUR) – no site do ALDI, na secção dos frescos de qualidade, há sempre carne de novilho dos Açores, as peças é que vão variando todas as semanas, às 4.ªs e 6.ªs);

- Tentáculos de pota congelados (embalagem de 800 g, 2,99 EUR) – normalmente cozo na panela de pressão e depois levo ao forno de várias formas. A mim rende-me duas doses.

A título de exemplo da minha alimentação Paleo que fiz com estas compras:

a) Tentáculos de pota no forno (2 doses)

 800 g tentáculos de pota (previamente cozidos)
4  colheres de sopa óleo de coco
1 cebola grande
25 g de bacon aos cubos
sal marinho, curcuma, manjericão

Levei ao forno cerca de 15 min. Virei e coloquei o bacon e forno mais 10 min. É "daqui". Acompanhei com couve flor e cenoura cozidos; Como fruta comi pera cozida com canela e chia, e polvilhei com maca peruana.

b) Bife de novilho dos Açores

Mais simples impossível. Temperei com sal marinho e pimenta, e cozinhei na frigideira com um pouco de óleo de coco. Acompanhei com salada de alface, rúcula e tomate. Temperei com azeite, vinagre balsâmico e cerca de 20 g de avelãs. Como comi ao jantar, já não comi fruta.


2. THE BODY SHOP

Apesar desta loja ficar fora de mão, sempre que preciso (ou não, pois...mas aproveito as campanhas, saldos, black friday e afins - não sei se sabem, mas podem subscrever essas informações, que recebemos no email), tento lá ir, não só pelos produtos em si, mas pela filosofia subjacente à marca. 

Lembro-me de ser miúda, e ir a uma das TBS de Lisboa na altura do natal e comprar umas bolinhas com óleo para dissolver no banho (nunca mais vi), e fazer umas ofertas giras para a família. Isto há cerca de 30 anos, creio. Cá no Algarve que eu saiba há a loja no Algarve Shopping, e em Faro (não sei se ainda está no Forum, ou se vai passar para o espaço / outlet do IKEA). 

Aproveitei a campanha de reciclagem que está a decorrer até dia 25 de setembro, e levei uma embalagem vazia de óleo desmaquilhante de camomila (que adoro, nunca mais utilizei discos de algodão para me desmaquilhar. Uso apenas o óleo, que consegue dissolver a maquilhagem, mesmo alguma à prova de água, e em seguida lavo normalmente o rosto, tónico, etc.), e ofereceram uma bisnaga de creme para as mãos da gama Fuji Green tea (30 mL).


Comprei dois batons (perdição, perdição), um liquido mate (cor Nairobi Camelia 9 EUR) e um cremoso (Beije cherie - sem certezas deste nome, porque sou pitosga e as letras são demasiadamente micro para mim, 12 EUR), aproveitando também os 40% de desconto no segundo produto de maquilhagem ou corpo que está a decorrer (exceto linha SPA of the world, produtos donativo e presentes). Ainda não experimentei nenhum dos produtos, mas as cores dos batons são lindas e o creme para as mãos tem um cheirinho suave.

Também respondi a um questionário e nesse resultado ganhei um cupão para ganhar uma amostra da máscara CHÁ MATCHA JAPONÊS (que é suposto ser anti efeitos da poluição e tem partículas esfoliantes).


Aqui estão eles:

And Last but not least, está a decorrer a petição “Comprometidos com os animais!”. 


A quem possa estar interessado, a petição pode ser assinada AQUI.


E é isto, por hoje :-)

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Olaré, estou viva!


E após uma ausência demasiadamente prolongada, cá volto para dar notícias às minhas seguidoras que ainda não desistiram deste cantinho e a quem peço imensas desculpas por este interregno. Efetuo esta atualização para eventual ajuda a quem necessite, pois eu também me inspiro em exemplos de determinação que encontro na blogosfera e youtube. Caso alguém pretenda que vá continuando a dar feed-back, diga, sff. Ok?

Para quem me acompanha, sabe que desde sempre que lido com o excesso de peso, e já tentei inúmeras dietas e estilos de vida, na esperança de encontrar a minha onda. Algures em 2015 pensava eu que a tinha encontrado, mas o meu grande problema é a cabeça e a facilidade de me desfocar do essencial e lidar com as emoções com a ingestão (muitas vezes irrefletida) de comida. Ora isto aliado à falta de atividade física, que tem sido maior desde final de 2015 em virtude de ter piorado da lombar, levou a que, mais uma vez, tenha descambado, e voltado aos cerca de 85 kg (algures em out de 2016). 

Em setembro 2016 uns amigos falaram-me da “Dieta do Paleolítico”, e que ele tinha já perdido alguns kg e bastante volume (principalmente no abdómen) e ela, embora seja magra, também referiu sentir-se melhor. Ora, como apesar destas minhas fraquezas, me considero uma persistente, comecei a investigar sobre o assunto (que pelos vistos já é muito conhecido, mas eu andava a leste do paraíso). Como há muita informação na internet, não vou aqui entrar em grandes pormenores, mas se alguém quiser mais informação, estou à disposição.

Mas como acredito que as coisas aparecem na nossa vida quando tem de ser (como me aconteceu com o yoga), desde essa altura que comecei, aos poucos a fazer algumas alterações na minha alimentação (sempre condicionada na atividade física, que só recentemente tenho retomado, devagarinho).

Inicialmente alterei os meus pequenos-almoços, que passaram a assentar fundamentalmente em ovos de várias formas, confecionando com óleo de coco, e por vezes colocava queijo feta, outras cogumelos, folhas verdes (espinafres, manjericão, etc.), tomate, por vezes polvilhava com um pouco de sementes, etc. Andei assim até final do ano (no Natal acabei por comer grão, pão e alguns, poucos doces de natal, pois também fiquei com gripe e não tinha grande apetite). A grande diferença que notei foi a não necessidade de comer a meio da manhã (sem fome, mesmo). Nesse período perdi algum volume e uns 2 a 3 kg.

Em relação aos alimentos “permitidos e proibidos”, embora tenha sempre dito que não vou entrar em fundamentalismos, efetivamente segui orientações de quem já anda nisto há tempo e percebe mais do assunto, nomeadamente no blog Paleo XXI, no grupo do FB Paleo Descomplicado, no Blog Sem Aditivos, entre outros, mas não abandonei os laticínios, nomeadamente alguns queijos, manteiga, iogurte grego e natas de x em quando. Ultimamente introduzi o kefir. Confesso que no início mesmo andei toda contente a explorar aqueles alimentos que são “permitidos” como o bacon, natas, o pão low carb feito com outras farinhas, como de frutos secos, coco, etc, mas foi o entusiasmo inicial, porque depois passou, e agora pontualmente utilizo. O que vejo noutras pessoas que tentam enveredar pelo Paleo, é o exagero. Lá porque é “permitido” comer certos alimentos “à vontade”, há que ter bom senso, no que se come, e nas quantidades, apesar de muitos advogarem não terem de controlar quantidades, para quem pretenda perder peso há que ter algum cuidado. Por exemplo o café turbinado nunca me atraiu, mas há que o faça, que goste e tenha bons resultados, pois pelo que dizem, ficam sem fome e com energia.

Em finais de janeiro 2017, como ia ter umas semanas de trabalho mais exigente, e com menos tempo, comecei a praticar jejum intermitente, no protocolo de 16/8h (basicamente janto, durmo, acordo e salto o pequeno almoço, volto a comer ao almoço, pelas 13h00), e poderia comer na janela de 8h entre o almoço e o jantar, mas no meu caso como não sinto fome, não lancho e apenas volto a comer ao jantar. Bebo água, café e chá, se me apetecer. Fome? Um pouco, mais perto das 11h00/12h00. Nada que com um chá ou um copo de água não ajude a passar. Mas depois, como em tudo na vida, o hábito instala-se e desde então que o pratico e não me custa nada. Inicialmente e durante alguns dias passei pela “gripe” dos baixos hidratos de carbono (desintoxicação, vá), e tive algumas dores de cabeça e tonturas fundamentalmente. Aspetos positivos: grande capacidade de concentração e, sensação de liberdade! Ao nível de análises está tudo ótimo (tenho vindo a fazer ao longo destes 8 meses). 

E desde aí em diante, foquei-me mais no Paleo, fiz alguns jejuns intermitentes (JI) de 24h (se tiverem curiosidade, o Prémio Nobel da medicina 2016 esteve relacionado com a Autofagia, que entre outras é promovida pelo JI). Sobre estes assuntos, assisto os blog/canais youtube do Dr. José Carlos Souto, Dr. Jason Fung, Dr. Juliano Pimentel, Dr. Lair Ribeiro, Rodrigo Polesso, e li o livro “Chegar novo a velho” do Dr. Manuel Pinto Coelho, que também incorpora algumas das práticas que agora tenho.

Em suma, continuo a praticar o JI de 16h (às vezes vou até um pouco mais, se estiver entretida no trabalho), continuo a não comer cereais e derivados, nem leguminosas (aspeto muito positivo: sem dores de cabeça, que me assolava quase diariamente). 
Pontualmente já comi alguns dos alimentos “não permitidos”, como arroz e feijão, em refeições com a família, porque não quero deixar de socializar e de vez em quando não me parece fazer mal nenhum.

Bom, muito poderia aqui escrever desta minha experiência, porque efetivamente houve uma mudança de paradigma na minha vida. Não passo a vida a comer (as hormonas é que mandam nisto tudo, nomeadamente a insulina, cujos picos reduzo ao comer menos HC, menos frequentemente e ao praticar o JI), como menos hidratos de carbono, mais gorduras boas e proteínas mais ou menos o mesmo que comia (mas menos iogurtes). Passei a comer mais carne de vaca (apesar de não gostar particularmente, mas sei que me faz falta, pelo menos semanalmente, mas não diariamente). Não como nada light ou diet, minimizo os processados, tento, sempre que possível, comer produtos biológicos. Bebo muita água. Só me falta mesmo a atividade física, mas o yoga vai-me ajudar com certeza a reencontrar o caminho.

E nisto tudo, hoje peso cerca de 64 kg e perdi imenso volume corporal. Infelizmente e não vou negar, a pele já não é o que era, e tenho bastante flacidez (especialmente nos braços, papada e abdómen), que, espero conseguir melhorar com o retomar da atividade física, na medida em que a minha lombar mo permita. Se estou satisfeita? Muito. Se já prevariquei? Sim. Já comi gelado, bolo de aniversário, pão, vinho. Mas pouca quantidade. E bom, aniversários e férias são a exceção e não a regra. A vida não deve ser pautada por extremismos. Há quem faça dias de “lixo” nas suas dietas. Eu não vou nisso, mas nas ocasiões sociais permito-me alguns excessos. Mas logo volto à rotina e está tudo bem.

Não me vou enganar, sei que isto é um processo longo, o organismo tem de se adaptar a estas mudanças. Sei que poderei voltar a engordar se não me focar no que me faz bem. Revezes na vida todos temos, e terei de saber lidar com isso sem me refugiar no que me faz mal. A todos os níveis.

Não queria deixar de dizer que estou aqui apenas a contar a minha experiência, pois não sou especialista na área, nem pouco mais ou menos, mas é o que está a resultar comigo e que faz sentido na minha vida. O que cada um faz com a informação que poderá obter aqui e noutros locais já é consigo. Mas acho que devemos ser pessoas informadas e procurar tirar as nossas dúvidas. pela nossa saúde! Nem todas as pessoas têm condições de saúde que lhe permita algumas das alterações que fiz. Embora me pareça que a nossa comunidade médica não esteja ainda muito voltada para este estilo de vida, há já alguns que sim. Procurem a ajuda que vos seja possível e espero que tudo vos corra pelo melhor!
E pronto, por hoje fico aqui, voltarei se cá me quiserem. Se não, também não tem problema. Eventualmente virei cá de vez em quando, fazendo balanços desta componente da minha vida.

A todas as que por aqui passarem, um abraço e tudo a correr bem convosco.

Querer é poder ;-)

quarta-feira, 8 de julho de 2015

É quase tudo`"à nota de 1!"

Ora então os resultados face à última semana foram:

Peso:71,7 kg (-1,1)
Anca: 103 cm (-1);
Cintura: 87 cm (-1);
Coxa dta: 61,2 cm (-0,8);
Joelho dto: 44 cm (-0,2);
Peito: 97,5 cm (-1,5)

Estou a 5,7 kg do meu primeiro objetivo, pelo que se continuar tudo a correr como até agora, estimo que lá para final de setembro esteja ok (descontando que vou estar de férias e de certeza que vou cometer alguns excessos, mas que vou tentar minimizar, claro). Na semana que passou até agora só consegui fazer 2 x ginástica em casa e hoje estou com umas dorzitas na lombar, acho que tb não vou fazer, vou amanhã à prática de yoga, e logo vejo como fico. Estas limitações é que me aborrecem :-(
Tenho mais uma semana de acompanhamento com a nutricionista, depois vou estar por minha conta. mas acho que já tenho as ferramentas todas :-)

Até

terça-feira, 30 de junho de 2015

E continuo de vento em popa :-)



Se há coisa que tenho aprendido estes últimos meses é a respeitar o meu corpo. Não posso exigir mais dele, já bastam todos os anos em que abusei dele à farta. Tanto peso em cima das articulações, a pele que estica e encolhe, o sobrecarregar dos órgãos...muito abuso...As minhas lutas contra o peso começaram na adolescência, tinha uns 16 anos, e lembro-me de ter feito umas semanas de dieta à base de frutas e iogurtes (não em todas as refeições, mas ao jantar sim, e aos lanches também). Aliado a isso fazia ginástica em casa, com uns discos (de vinil) da Jane Fonda (grande parte dos exercícios imaginava-os, pois só a ouvir em inglês era um milagre acertar em tudo). Mas o que é certo é que lá emagreci, e até aos 18 anos mantive hábitos alimentares mais corretos e até aumentei a atividade física. Lembro-me bem da maravilhosa sensação que nunca mais tive, de no verão as coxas não roçarem uma na outra (embora mesmo com os meus 50 kg da alura, sempre mantive a coxa grossa). Isto sempre foi um "drama" para mim, pois sempre gostei de caminhar, e nem pensar em fazê-lo de saias ou na praia em fato de banho, pois ficava (e fico) com o interior das coxas assadas :-(
A partir daí, fui estudar para longe de casa, comecei a comer "porcarias" e deixei a atividade física. Comecei a tomar a pílula e foi o descalabre. Vá de "dietas" pontuais, experimentei uma de uma clínica xpto, que detestei (pode funcionar com muita gente, e a parte da mesoterapia funcionou, mas para mim é uma dieta com plano alimentar muito restritivo, como outras que andam por aí, mas que devem funcionar com certeza com outras pessoas, eu é que não atino com isso, gera-me ansiedade e não me parece o mais correto). E sei lá mais quantas (em clínicas, acupunctura, nutricionista, atenção, nestes casos o problema da continuidade foi meu, porque em qualquer dos casos fui bem acompanhada...). Já lá vão ora 26 anos disto. E em jeito de conversa de "qualidade"...as ações não foram eficazes porque a análise de causas não foi bem feita, e a não conformidade não foi resolvida. A causa está ainda por resolver, só que agora, tenho mais calma e ponderação. Sei que o meu corpo (e a minha cabeça) respondem de outra forma. É tudo mais lento, não consigo ter a atividade física que queria (dores aqui e ali...), mas faço o que posso, mais que não seja, em vez de me afundar no sofá, vou arrumar qualquer coisa (ou passar a ferro...fffff, até isso que detesto, já fiz, vá sauna ao mesmo tempo, ehehe). E portanto, com o acompanhamento da nutricionista da BS, racionalizando os "apetites" (sim preciso de perceber porque tenho vontade de comer, pois na maioria das x nem tenho fome, é mesmo a ânsia de resolver o que quer que me atormente com aquela droga que podem ser, no meu caso os HC). Já estou curada? De todo! Sei que vou ter de me debater com isto a vida toda, mas na boa! Acho que essa é a grande diferença que vejo em mim. Na boa!
Mas e quanto a resultados? Amanhã é dia de pesagem e medidas, mas, tendo em conta a semana passada (24/06/2015) estou assim, comparando com os valores a 19/02 e após 18 semanas (tem graça que nestas coisas da perda de peso contamos o tempo como com a idade dos bebés):

Peso perdido: 16,5 kg (90,3 vs 73,8)
Cm ancas perdidos: 16,5 cm (121,5 vs 105)
Cm cintura perdidos: 18 cm (107 vs 89)
Cm coxa dta perdidos: 9,5 cm (71,5 vs 62)
Cm joelho dto perdidos: 5 cm (49,5-44,5)
Cm peito perdidos: 13 cm (112,5-99,5)

Estou super contente comigo, mas sei que não fico por aqui, pois tenho excesso de peso, muita % MG a perder e preciso de ficar saudável. Mas agora recomecei o yoga e a coisa tem corrido bem, não tenho tido dores na lombar e isso já é muito bom.
Uma nota, apenas. A perda de peso e/ou volume comigo não tem sido constante todas as semanas. Houve uma semana em que não perdi peso, outras em que perdi entre 1-1,3 kg e outras entre 0,5-0,8 kg. Para muitas pessoas se calhar não é uma perda grande, para mim é, estou muito satisfeita e agradecida ao meu corpo :-)

O programa termina este mês, daqui a umas 2-3 semanas, mas o meu processo vai continuar. Conto depois vir cá dar mais novidades.

Até lá



sexta-feira, 22 de maio de 2015

Ora vamos lá a contas

Tendo em andado desaparecida estes tempos, não foi devido a estar algo a correr mal com as minhas intenções, antes pelo contrário. Tal como disse no último post, atingi o meu maior peso de sempre (90,3 kg) e comecei o Programa Beslim em meados de fevereiro deste ano, que foi até à data a melhor forma que encontrei para me ajudar, fundamentalmente pelo acompanhamento diário da nutricionista, que não só corrige os erros alimentares, como me dá sugestões, até para equilibrar alguns deslizes, como foi o caso do meu aniversário, da Páscoa, aniversário da mãe, uma caracolada, etc.
Mas então e que posso dizer destas últimas 13 semanas (desde 19/02 a 20/05)? Estou muito contente!

Peso perdido: 12,6 kg (90,3 vs 77,7)
Cm ancas perdidos: 13,5 cm (121,5 vs 108)
Cm cintura perdidos: 15 cm (107 vs 92)
Cm coxa dta perdidos: 7,5 cm (71,5 vs 64)
Cm joelho dto perdidos: 3,5 cm (49,5-46)
Cm peito perdidos: 8,5 cm (112,5-104)

E na prática? Houve semanas em que perdi um pouco mais de 1 kg, outras à volta de 700 g, uma em que não perdi peso, apesar de perder volume...vai variando, sem razão aparente, talvez retenção de líquidos, talvez fases em que o intestino não esteja a funcionar tão bem, não sei, mas comigo é assim. Mas o importante é não desmotivar porque para a frente é que é caminho. Nas semanas em que a perda é menor, lembro-me bem do início e de pensar tantas vezes "quem me dera ter menos 10 kg". E agora já tenho menos 12! É tão bom!

A alimentação tem-se mantido, tenho feito alguns erros, mas que tento corrigir, não resisti à tentação de dar umas lambidelas na taça de fazer um bolo, mas tb faz falta :-)

O que acho que alterou mais em relação a 2012 foi, como já disse, a quantidade de pão ao PQ (que era na altura 25g e que agora são 50g); introduzi mais a gelatina, em lugar das bolachas de arroz; tento fazer sopa ao jantar dia sim dia não (mas agora com mais calor nao me apetece tanto). Mas como sempre proteina junto, só não como HC ao jantar.

Ah, continuo sem praticar atividade física, ando mal das costas (lombar). Já fui ao ortpedista, antes de fazer uma TAC vou tentar mesmo fazer exercícios para reforço dos músculos abdominais, lombares e gluteos. Vou ter de fazer uma RM ao pé por causa da minha lesão. Mas pronto, isto para dizer que estou muito satisfeita comigo e com estes resultados, claro que sei que se tivesse atividade física estaria melhor, mas vou fazer por isso.

A minha meta para o verão será chegar aos 70 kg, e depois a partir daí logo vejo, até porque sei que a qualquer momento posso entrar na fase plateau, e aí terei de ajustar o plano alimentar (preferencialmente aumentar a AF); Mas até final do ano gostava de chegar ao peso que atingi em jan/fev 2013, que foi os 63-65 kg, com os quais estava mesmo bem. Mas acho que é muito, pelo que para já estou focada na primeira meta.

E é isto que gostava de aqui deixar registado. A obesidade também é mental, e essa é a mais difícil de perder. Mas não é impossível. O nosso corpo agradece e a nossa vida também!
Até!